Os distúrbios do sono atingem várias pessoas de diferentes idades, e esses distúrbios podem causam diversos problemas voltados para qualidade do sono que atingem a saúde física e mental do paciente. Alguns distúrbios do sono são:

  • Bruxismo;
  • Insônia;
  • Apneia do sono;
  • Sonambulismo;
  • Narcolepsia;
  • Paralisia do sono.

Neste artigo vamos falar sobre sonambulismo, que é um distúrbio que se manifesta durante a fase mais profunda do sono. Ele é caracterizado pela realização de atividades motoras onde a pessoa não tem consciência do que está fazendo. Resumindo: o sonâmbulo levanta da cama, anda e pratica algumas atividades enquanto dorme. Explicando clinicamente, as funções motoras despertam, mas a consciência continua inativa e, portanto, o sonâmbulo não se lembra, ou lembra bem pouco, do que aconteceu durante a noite.
Cerca de 1 a 15% da população mundial já teve algum episódio de sonambulismo. Normalmente, os episódios ocorrem uma ou duas horas depois que a pessoa adormece e podem durar até meia hora, onde a pessoa pode acordar ou voltar para a cama e continuar dormindo.

CAUSAS

Ainda não se tem certeza do que causa o sonambulismo, o que descobriram sobre isso até hoje é que afeta mais homens do que mulheres e existem alguns fatores que podem elevar o risco de se desenvolver o distúrbio. Como, por exemplo:

  • Ficar muito tempo sem dormir;
  • Cansaço excessivo;
  • Apneia do sono;
  • Asma;
  • Ansiedade;
  • Enxaqueca;
  • Estresse;
  • AVC;
  • Alguns medicamentos.

Além destes, dois fatores que mais causam o desenvolvimento do distúrbio é a idade e genética. A idade em que mais sofre com esse problema é entre 3 e 8 anos e pode desaparecer na adolescência, mas pode também surgir na fase adulta, sendo relacionado com outras condições de saúde. Já no caso da genética, há indícios que o sonambulismo aumenta em 45% se o pai ou a mãe já foram sonâmbulos em alguma fase da vida.

SINTOMAS

Nesse distúrbio, os sintomas, normalmente, não são sentidos pelo próprio sonâmbulo, já que ele não se lembra dos episódios. Portanto, quem deve ficar atento aos sintomas apresentados são os familiares e quem presenciar os episódios.
Geralmente, o sonâmbulo:

  • Sai da cama e anda pelo quarto ou pela casa;
  • Fica de olhos abertos, mas com expressão vaga;
  • Senta na cama e fica com os olhos abertos;
  • Não responde quando é questionado;
  • Costuma fazer atividades normais, como ir ao banheiro, se vestir e até mesmo comer ou preparar uma comida;
  • Não se lembrar do ocorrido no dia seguinte;
  • Quando acordar um sonâmbulo, ele pode ficar confuso e se sentir perdido;
  • Falar coisas sem nexo;
  • Voltar rapidamente ao sono;
  • Apresentar estresse, mau humor, sono diurno, como se não tivesse dormido durante a noite, o que ocorre devido às perturbações durante a noite;
  • Apresenta episódios de terror noturno;
  • Sair de casa;
  • Dirigir;
  • Ter relações sexuais;
  • Tentar pular a janela.

Nem todos esses sintomas são comuns, mas é importante evitar deixar objetos pelo chão, objetos pontiagudos com fácil acesso, trancar as portas e tirar as chaves da porta, colocar grades e cadeados nas janelas.
Quase sempre, o sonâmbulo repete ações rotineiras, estereotipadas, sem a interferência direta do cérebro, o que pode resultar em acidentes. Ou seja, não é raro a pessoa cair ou ferir-se com a faca que usou para cortar um alimento durante a crise de sonambulismo. São menos comuns os casos em que o sonâmbulo sai de casa, caminha pelas ruas ou dirige automóvel, por exemplo.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

Se você conhece alguém que apresente os sintomas de sonambulismo é muito importante levá-lo ao médico, para que faça o diagnostico e tratamento necessário.
Os médicos responsáveis por tratar desse distúrbio são os neurologistas, médico do sono, geneticistas, clínico geral e psiquiatras. Normalmente o diagnóstico é feito com o estudo do sono e polissonografia.
O sonambulismo não tem cura, o que pode acontecer é um tratamento para amenizar os ataques. O médico pode prescrever algum medicamento que combate a tensão e a ansiedade, como antidepressivos e ansiolíticos. Outra forma de tratamento são técnicas de relaxamento e de hipnose para controlar o distúrbio.
Muitas pessoas têm medo de acordar o sonâmbulo, acreditando que podem gerar até problemas cardíacos ao acordá-los, mas isso nunca foi comprovado. O que pode acontecer ao acordar um sonâmbulo é que ele fique estressado, confuso e sem saber o que está acontecendo.

RECOMENDAÇÕES

Quando presenciar um episódio de sonambulismo existem algumas recomendações de como lidar para ajudar o sonâmbulo a não sofrer nenhum acidente e voltar a dormir tranquilamente.

  • Se o sonâmbulo sair do quarto e caminhar pela casa, acompanhe-o no deslocamento e tente voltar com ele para a cama, além disso, retire objetos do caminho e fique atento para que ele não se machuque;
  • Tente não encostar na pessoa, pois ela pode apresentar uma reação de fuga e dar empurrões ou algo assim;
  • Se for preciso acordar o sonâmbulo, tente usar palavras e não balançar a pessoa ou nada disso;
  • Tranque as janelas;
  • Evite beliches ou camas muito altas, para que a pessoa não corra risco de se machucar ao sair;
  • Sempre tranque a porta e tire a chave da fechadura;
  • Objetos cortantes e perigosos devem ser colocados fora do alcance do sonâmbulo;
  • Ao se hospedar em andares altos, na casa de amigos ou em hotéis, verifique a segurança das janelas.

É indicado também que os pacientes:

  • Não ingiram bebidas alcoólicas;
  • Não joguem videogame, não vejam televisão, não mexam no computador perto da hora de dormir;
  • Não se automediquem;
  • Criem uma rotina de sempre ir dormir e acordar nos mesmos horários, inclusive aos finais de semana.

Ainda não há nada que se possa fazer para evitar o sonambulismo, já que ele também não possui causa específica. O recomendado é sempre deixar espaço para que o sonâmbulo possa transitar pela casa e não se machuque durante esse período. Também é indicado que o sonâmbulo relaxe antes de deitar. Tomar banho, ouvir música ou ler um livro são atividades que podem auxiliar para que haja uma boa noite de sono.
Por fim, se você conhece alguém que sofra de sonambulismo compartilhe este artigo com ele e com familiares para que aprendam um pouco mais sobre o assunto e saibam como agir durante uma crise deste distúrbio. Se você desconfia que possa ter este distúrbio procure ajuda de um especialista para se diagnosticar corretamente. Lembrando que você não deve se automedicar, pois alguns medicamentos podem prejudicar ainda mais na qualidade do sono.